terça-feira, abril 25, 2006

A Educação segundo Durkheim:


Émile Durkheim( 1858-1917)

1. Função social da educação – evitar as contradições existentes entre os interesses pessoais e os sociais – daí a importância da educação.

Tarefas da educação:
A) uma das tarefas da educação tem sido a de demonstrar que os interesses individuais só se podem realizar plenamente através dos interesses sociais.( coletivos) Em outras palavras, a educação, ao socializar os indivíduos, mostra a ele que, sozinho, o ser humano não sobrevive. Ao contrário, o ser humano só s desenvolve potencialidades em contato com outras pessoas.

A convivência no grupo, por sua vez, só é possível se o indivíduo acatar certas regras comuns a todos, se for capaz de abrir mão de alguns de seus desejos para ter outros, socialmente aceitos.

Durkheim percebeu que a convivência na sociedade é impossível sem a educação, elemento adaptador e normalizador básico na integração indivíduo- sociedade. A geração adulta já foi socializada e, por isso já integrada à sociedade, exerce uma ação sobre as gerações mais jovens.


CARACTERÍSTICAS DA EDUCAÇÃO.

Vimos que a função da educação é integrar o indivíduo à sociedade. No entanto é
importante saber que esta educação possui duas características: é una e múltipla.

UNA- deve inculcar no indivíduo idéias que fazem parte do meio social em que vive. Como vimos na visão de sociedade( organicista), a sociedade se caracteriza por ser um corpo social cuja tendência natural é o progresso e a harmonia( ordem). A garantia dessa tendência nos é dada pela moral social (é sociedade, que impõe aos indivíduos, a conduta exigida pela sociedade). Nesse contexto, a educação se caracteriza por ser o ato de transmissão dessa moral. Logo, a educação é uma porque reproduz a sociedade.
Ex: em Atenas- escola formava espíritos delicados, embebidos em graça, Roma, homens aptos para a ação( guerra), na Idade média, a educação era cristã, na Renascença, toma o caráter leigo, mais literário, nos dias de hoje, a ciência tende a ocupar o lugar que a arte outrora preencha”.

Portanto, quando se afirma que a educação é una, significa que ela reproduz os valores essenciais a cada sociedade . “É uma ilusão pensar que o professor transmite suas idéias. Ao contrário, o professor reproduz valores e conhecimentos exigidos pela organização social em que está inserido”.

A educação é múltipla - além de transmitir valores comuns a todos os indivíduos de uma sociedade, ela transmite uma soma de conhecimentos distintos, que variam de classe para classe social ou profissão. Portanto, além de uma, pode existir dentro dessa unidade, uma certa diversidade ou especialização de conhecimentos ( naturais).

Segundo Durkheim, com o constante aumento da divisão do trabalho social (leva ao aumento da solidariedade) a cada dia que passa as pessoas se especializam em diferentes funções e assim ocorre com a educação: a educação que forma o médico, tem aspectos diferentes da educação dos engenheiros.

“ a educação não pode ser a mesma. Eis por que vemos, em todos os países civilizados, a tendência que ela manifesta para ser mais diversificada e especializada; essa especialização, dia a dia, se torna mais precoce”.



Educação e Estado em Durkheim

Analisando a dinâmica da sociedade capitalista, observou que o Estado poderia aparecer como órgão vital ao corpo: conferiu ao Estado uma condição de cérebro da sociedade. Assim, é função do Estado ser a instituição responsável por reelaborar e zelar pela moral social: é tarefa do Estado organizar a sociedade através de interesses coletivos e sociais e não através de interesses individuais.
Vimos que a educação aparece como o elemento capaz de desenvolver uma função útil na sociedade(una e múltipla). Contudo, para que tal fim seja alcançado, tanto a educação como o sistema de ensino devem estar livres das paixões individuais: não é a vontade pessoal que conduz a educação e o sistema de ensino, mas sim os valores morais da sociedade como um todo. Ora, para Durkheim, apenas o Estado- como cérebro social- se apresenta como a instituição capaz de estar acima dos interesses individuais, acima das paixões pessoais e, assim, se revela como o único órgão capaz de conduzir a educação e o sistema de ensino da nossa sociedade.

Assim , Durkheim admite que existe e deve existir em nossa sociedade uma vinculação íntima entre o Estado e a educação. O primeiro é responsável senão por manter, pelo menos por supervisionar e orientar a educação, pois sendo o Estado o único órgão acima dos interesses individuais, é o único capaz de organizar a educação com fins sociais.

Na prática , a vinculação entre Estado e educação se dá através da escola, pois é por meio desta instituição que o Estado consegue exercer controle efetivo sobre os indivíduos. “A escola, através de suas através de suas normas e conteúdos, inculca nos indivíduos valores sociais desta dada sociedade. A supervisão sobre essas normas e conteúdos é encargo do Estado, que atinge a escola através do Ministério e das secretarias de educação”;




Conclusão:

1. A educação deve existir para manter a ordem social
2. A tarefa que cabe à educação não é transformar ou revolucionar a sociedade capitalista, e sim reproduzir os valores morais dessa sociedade, integrando os indivíduos, tentando, no máximo, reformar alguns aspectos considerados negativos. Logo, a visão é bem conservadora. A educação não existe para transformar e sim para reproduzir.
3. Esta concepção sociológica muito conservadora aparece com freqüência nos princípios que organizam o sistema de ensino no Brasil da atualidade. Um pequeno exemplo é a divisão dos conteúdos das disciplinas dos atuais cursos médios entre disciplinas pertencentes ao chamado núcleo comum e as pertencentes ao chamado núcleo específico., divisão que tenta recuperar o espírito teórico do positivismo. Pode-se também, a título de exemplo, refletir sobre os conteúdos de várias disciplinas e perceber nelas a diluição das idéias de Durkheim: o respeito á ordem, a necessidade de integração social, o Estado como elemento organizador da vida social, a educação como elemento reprodutor, as noções de equilíbrio e harmonia social.
FONTE: Texto para análise: pg. 46. Artigo 1º referente
ao capítulo” dos fins da educação”, contido na lei de Diretrizes e Bases da
educação nº 4024, de dezembro de 1961 e ainda em vigor.